É bem verdade que nunca falta o que escrever. Não sou excepção. Mas mais do que escrever para alguém ler, a escrita tem em mim um efeito catártico. E é isso que procuro.
6.4.10

Maria Gita não partiu nenhum dente com as amêndoas na Páscoa, até porque comeu apenas duas. Passou o fim-de-semana algo agastada porque na quinta-feira aquele que na ausência de chefe fica responsável por mim me disse que queria falar ontem comigo sobre outro assunto. Catano... mas porque é que não falou logo. Fica uma pessoa desorientada sem saber o que dali vem.

Eu sabia que era sobre a minha situação contratual mas não sabia se era mais do que isso. Ora acontece que até era mais do que isso. Disse-me que falou com a Administração e fez uma forcinha para eu cá ficar mais seis meses para continuar a ajudar no outro projecto.

Eu acho que nos dias que correm não me posso dar ao luxo de escolher, pelo que fiquei muito contente. É claro que não há promessa de continuidade mas sempre são mais seis meses a aprender, a progredir e sobretudo ocupada.

Confesso que me assustava a ideia de ficar sem trabalho numa fase em que vamos começar a nossa casa, sinónimo de necessidade de rios de dinheiro, e claro, tudo o que vier é ganho.

Só tenho pena de não poder ter férias com o R.. Trabalho aqui há quase dois anos sem nunca ter parado. Mas foi por opção e fico feliz por ele ser compreensivo. E agora seguem-se mais seis meses de rajada. Mas volto a dizer: há que trabalhar.

Isto por aqui, por vezes com o chefe tinha alturas que era uma pasmaceira, em que eu desesperava por trabalho. Agora que ele não está, anda tudo doido. Não consigo actualizar as tarefas. Ando sempre a fazer coisas que já devia ter feito.

Mesmo não estando, o chefinho ligou hoje, muito bem disposto e aproveitou para pedir uns mapas em que andava a trabalhar: "Sr. Eng.º, posso enviar-lhe o que já tenho feito mas o outro está atrasado que nunca mais consegui pegar nele." E ele tudo bem, que remédio. É um quido. Antes de ir embora e durante as arrumações do gabinete ainda encontrou lá seis garrafas de vinho alentejano que me deu. Há chefes fantásticos, não há?

Bem, já falei sobre a novidade. Agora vamos trabalhar que é para isso que me pagam.

 

sinto-me: esperançosa
link do postPor Gita, às 16:43 

De Lynce a 8 de Abril de 2010 às 18:26
Adorei o teu post e fiquei contente por saber que não partiste nenhum dos teus dentes. Assim vale a pena comemorar a Páscoa.
Para terminar, só espero que não te embriagues com o vinhito que o teu chefe deixou...hehe




De Gita a 9 de Abril de 2010 às 09:32
Eh eh... Nem vi se era vinho tinto, imagino que sim. Se assim for estamos mal porque não suporto tinto. Há sempre quem goste.
Posso até nem ter partido nenhum dente mas amanhã eis que a dentista me vai partir aquele maldito siso.
Caramba... Agora que penso nisso, já que vou ficar sem ele, bem que podia ter comido mais amêndoas. Raios...

De Lynce a 9 de Abril de 2010 às 13:13
Eu também não sou apreciador de bebidas alcoólicas, digamos que as minha preferência vai para a água e para os sumos naturais.
Quanto ao dente, minha amiga, o dente do siso não está aí a fazer nada, antes que comece a dar problemas o melhor mesmo é arrancar o animal.
:)))

De Gita a 9 de Abril de 2010 às 16:22
Não coloques as coisas nesses termos porque eu sou apegada aos animais :p Vai que ainda tenho pena do dente e depois não me desfaço dele...

De
 
Nome

Url

Email

Guardar Dados?

Ainda não tem um Blog no SAPO? Crie já um. É grátis.

Comentário

Máximo de 4300 caracteres



Copiar caracteres

 



 
mais sobre mim
Abril 2010
D
S
T
Q
Q
S
S

1
2
3

4
5
6
7
8
9
10

11
13
14
15
16
17

18
19
20
21
22
24

25
26
27
28
29


arquivos
subscrever feeds
blogs SAPO